Suspeita

sábado, 27 de maio de 2017



Não sei porque, mas toda vez que muda o tempo...muda o meu coração!
Ele escurece com as nuvens. Desconfio que tem medo de frio. Eu até penso, que ele tem medo de explicar-se a essa gente...que sempre aponta caminhos.
Suspeito que ele tem seu próprio rumo. Será por isso
Que não aprumo sentimentos?
Eles dançam, pulam e fogem...se escondem.
Hoje sou um misto de saudade do nada e tudo. E meu coração parece indiferente à minha procura de  sentidos.
Mas sou suspeita para falar dele: meu coração sou eu!

Tentativa de explcação

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Saudade- gosto de vazio...
tenrura:  lembrança tua.
perdão: recomeço.
presença : completude!
felicidade : utopia.
verdade: minha procura!!!
ilusão: minha cara.

confirmação de amizade

terça-feira, 21 de março de 2017

Encontro de comunhão
em casa de amiga:
renovo,  o novo  laço
abraço de irmão!
Confirmação:
A  amizade, é eterna.
como a sinceridade do senhor!!



Inquietação

quarta-feira, 8 de março de 2017

Algo me incomoda
Nessa sociedade mesquinha
E hipócrita. Não precisamos
De um dia. Nenhum de nós!
Todos os dias são únicos
E singulares.
E nos pertencem: mulheres,
Homens, pais e mães,
Professores, todas as gentes.
O que querem mesmo é
Consumir os consumidos.
E fazê-los sumidos.
E mais caro aparecer a
Cada ano...Eis a minha
Inquietação: a quietude e
Aceitação de todos à essa
Realidade.

Mulher ( 2017 )



Quando penso na sublimidade da mulher, consigo imaginar o prazer do Criador a desenhá-la:
Coração de extrema devoção... Semelhante ao dele, para comportar  a capacidade de ser mãe,
Ser amiga,
Ser amante,
Ser irmã,
Filha e profissional,
Dando conta de cada uma de suas multiplicidades.
Eu penso: que outro ser é capaz de agir e sentir ao mesmo tempo, num processamento simultâneo?
De tal forma capaz
De contar em sagradas letras, mais preciosa que rubis?
A preciosidade da mulher, creio, vem das mãos de seu desenhista!
Artista sublime e incomparável, criou algo insuperável: a mulher mãe. Tão boa, que escolheu uma para si próprio!
A você, mulher, este poema de homenagem
Só para lembrar que os dias todos são teus. E as promessas do céu sejam tua garantia de permanente sublimidade! Felicidades e parabéns pelo seu dia!
Anedy Belisário

Tecida in palavras

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Tecida in palavra

Vou me construindo de palavras.
O que sou, senão o que já disseram
E o que invento?
A contento me construo nos  discursos dos outros e meus, que sou antropofágica das leituras que me dou.
Fico pensando, que também me perco, nesse emarenhado  de letras e frases. Palavras também discutem, se agridem, têm peso e leveza.
E a minha beleza vai se tecendo dessa estrutura.
Que as vezes veste, vezes desnuda. E muda, a minha vida, minha história.
Sou eu marcada pelo que já disse, pelo que já ouvi, repeti, refiz, comparei e me tornei de novo.
São recomeços de textos poéticos, que poesia é tudo.
E mais a palavra única:
FOME!

Tecnologia do Blogger.
 
any, a poetisa © Copyright | Template By Mundo Blogger |